Lula lidera pesquisa; Temer é o presidente mais impopular da história

https://www.ftmrs.org.br/images/201806111449060.jpg

Enquanto Lula mantém 30% das intenções de voto, Temer tem 82% de reprovação


Pesquisa divulgada no domingo (10) pelo Instituto Datafolha confirma que a ampla maioria dos eleitores brasileiros quer votar no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para a Presidência da República. Realizada na semana passada, a consulta aponta que Lula tem 30% das intenções de voto e mostra que mais de um terço dos eleitores (34%) não sabem em quem votar caso sua candidatura seja impedida.

Condenado pela Justiça Federal de Curitiba em um processo que não apresentou provas dos crimes atribuídos a ele, Lula está preso desde 8 de abril na capital paranaense.

O Datafolha entrevistou 2.824 eleitores de 174 municípios na quarta-feira (6) e na quinta-feira (7). É a primeira pesquisa realizada após a paralisação dos caminhoneiros, que levou à queda do presidente da Petrobras, Pedro Parente, e expôs a inabilidade do governo de Michel de Temer.

O instituto mostra o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) em segundo lugar na preferência e primeiro colocado em uma eventual ausência de Lula na eleição. Tem 19% da preferência.

A ex-senadora Marina Silva (Rede) vem na sequência, com até 15% das intenções. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) oscila entre 10 e 11%. Já o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) tem só 7%. Ambos ficam tecnicamente empatados.

Temer: mais impopular da história

Segundo o Datafolha, apenas 3% dos brasileiros consideram o governo Temer ótimo ou bom, enquanto outros 14% acham a gestão do peemedebista regular. A pesquisa revela que a reprovação do presidente aumentou 12 pontos percentuais desde abril. Naquela ocasião, 70% consideravam seu governo ruim ou péssimo.

A impopularidade de Temer é generalizada. Cresceu entre as pessoas de todas as faixas de renda e escolaridade e em todas as regiões do país. No Nordeste, a rejeição a ele atinge 87%.

Há mais de dois anos no poder e sem conseguir retomar o crescimento da economia, Temer tem índice de reprovação maior que qualquer outro presidente do país. Supera os 71% que Dilma Rousseff alcançou em agosto 2015, dois anos antes de ser afastada da Presidência.

 

Fonte: Brasil de Fato com informações da RBA e Vermelho

As centrais sindicais brasileiras divulgaram nota, nesta quinta-feira (7), em que criticam a postura agressiva do ministro do Trabalho, Helton Yamura, aos técnicos da Organização Internacional do Trabalho (OIT) durante sessão na Comissão de Aplicação de Normas da entidade internacional. “Equivocado e infeliz”, foram as palavras usadas para definir a participação do representante do governo brasileiro. Yamura atacou os técnicos sem se ater ao descumprimento das convenções da OIT pelo Brasil.

oit 107 conferencia internacional calixto

Assim, por fatos e atos, a chamada Reforma Trabalhista brasileira continua repercutindo muito mal no mundo. As centrais sindicais e outras entidades de classe denunciaram na 107ª Conferência Internacional da OIT (Organização Internacional do Trabalho) os dispositivos da Lei 13.467/17, que “interferem na negociação coletiva, ao facultar a negociação individual; precariza as relações de trabalho, com a adoção do trabalhado intermitente e trabalho autônomo sem vínculo empregatício e fere princípios do trabalho decente”, conforme nota das centrais sindicais.

Leia também:
Governo ataca OIT para defender destruição das leis trabalhistas. MPT lamenta

Diante disso, o governo brasileiro sofreu nova derrota na OIT. É que a “Comissão de Aplicação de Normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT) apresentou hoje, em Genebra, o Projeto de Conclusão sobre o Caso Brasil, pela qual o governo Temer terá que encaminhar à Comissão de Peritos da organização, até novembro deste ano, explicações sobre a reforma trabalhista, respondendo à denúncia de que a Lei 13.467/2017 fere a Convenção 98, que trata do direito de negociação coletiva e de organização sindical dos trabalhadores e trabalhadoras”, divulga ainda a nota das centrais.

As explicações e alegações do governo contraditando a denúncia das centrais terão que ser encaminhadas à Comissão de Peritos da OIT até novembro. Leia a íntegra da nota das centrais:


NOTA DAS CENTRAIS SINDICAIS BRASILEIRAS

REFORMA TRABALHISTA

Depois da agressão do ministro do Trabalho, governo brasileiro sofre nova derrota na OIT e terá que dar explicações à Comissão de Peritos

Comissão de Aplicação de Normas da Organização Internacional do Trabalho-OIT apresentou hoje, em Genebra, o Projeto de Conclusão sobre o Caso Brasil, pela qual o governo Temer terá que encaminhar à Comissão de Peritos da organização, até novembro deste ano, explicações sobre a reforma trabalhista, respondendo à denúncia de que a Lei 13.467/2017 fere a Convenção 98, que trata do direito de negociação coletiva e de organização sindical dos trabalhadores e trabalhadoras.

Assim, além de permanecer na chamada “lista suja” dos 24 países que afrontam as normas trabalhistas internacionais, o Brasil terá que encaminhar explicações ao Comitê de Peritos da OIT fundamentando a sua defesa de que o governo não desrespeitou a Convenção 98.

A denúncia apresentada à OIT partiu do entendimento das centrais sindicais brasileiras de que, com a Lei 13.467/2017, o governo brasileiro criou dispositivos que interferem na negociação coletiva, ao facultar a negociação individual; precariza as relações de trabalho, com a adoção do trabalhado intermitente e trabalho autônomo sem vínculo empregatício e fere princípios do trabalho decente.

A defesa do governo na Comissão de Aplicação de Norma através do ministro do Trabalho, Helton Yamura, não se ateve aos aspectos técnicos do caso, mas descambou para agressões às entidades sindicais brasileiras e aos membros da Comissão de Peritos, numa intervenção completamente equivocada em relação aos métodos de diplomacia que regem o diálogo social na OIT.

O governo não conseguiu apresentar argumentos que justificassem a reforma trabalhista, em especial quanto a ausência das centrais sindicais nos debates, rompendo com o princípio do tripartismo. O xingatório do ministro mereceu censura até mesmo de outros governos, como se deu com representantes do Reino Unido, considerando que faltou cordialidade ao ministro do Trabalho.

Portanto, longe de se livrar do problema, o governo brasileiro sofreu derrota internacional, terá que se explicar à Comissão de Peritos apresentando as suas alegações até o mês de novembro, atendo-se exclusivamente aos aspectos técnicos do caso. Será, de fato, uma situação difícil para o governo, explicar o inexplicável. A denúncia apresentada, com sólidos e fartos dados concretos, sem qualquer viés partidário, aponta o desastre que significa a Lei 13.467/2017, o pior ataque sofrido pelos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil.

Na sua fala, depois do anúncio da decisão da Comissão de Normas, o ministro Yamura foi, mais uma vez, equivocado e infeliz ao agredir os membros da Comissão de Peritos, demonstrando constrangedor desconforto.

CENTRAL DOS SINDICATOS BRASILEIROS - CSB

CENTRAL DE TRABALHADORES E TRABALHADORAS DO BRASIL - CTB

CENTRA ÚNICA DOS TRABALHADORES - CUT

FORÇA SINDICAL - FS

NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES - NCST

UNIÃO GERAL DOS TRABALHADORES - UGT


Fonte: www.diap.org.br/index.php/noticias/noticias/28184-governo-sofre-nova-derrota-na-oit-no-caso-da-reforma-trabalhista





 
 

 

Os petroleiros e trabalhadores de diversas outras categorias, além de centrais sindicais, estão chamando a população para participar, nesta quinta-feira, dia 7, às 18 horas, na Esquina Democrática, em Porto Alegre, de um ato pela redução do preço do gás e da gasolina.

A atividade, chamada pelo Sindipetro-RS, objetiva pressionar o governo para que seja alterada a política de preços da Petrobrás para os combustíveis, hoje voltada para o mercado e prejudicial para a população. Os trabalhadores também querem denunciar a política do governo golpista do Temer de desmonte da estatal, com objetivo de privatizar uma das maiores e mais importantes empresas brasileiras, entregando não só o petróleo e o pré-sal para petrolíferas estrangeiras, mas também a soberania e a possibilidade de desenvolvimento do Brasil garantido pela Petrobrás.

Os petroleiros lembram que desde que foi criada, em 1954, a Petrobrás tem sido cobiçada pelos grupos empresariais estrangeiros. Mas a resistência do povo vem impedindo a sua entrega, como nos anos 90, durante o governo FHC, que chegou a mudar o nome da empresa para “Petrobrax” com objetivo de privatizar a estatal. E foi exatamente a resistência do povo, somada a eleição do Lula, que interrompeu o projeto de privatização da empresa.

Agora, além de lutar para mudanças na política de preços da Petrobrás, é fundamental também que todos os setores da sociedade se unam aos trabalhadores para defender a Petrobrás e impedir sua privatização.

Se a gasolina e o gás de cozinha já estão caros, imagine se a Petrobrás for privatizada!

Nesta quinta, às 18h, todos na Esquina Democrática.

Fonte: www.sindipetro-rs.org.br/index.php/noticias/item/4081-ato-pela-reducao-do-gas-e-da-gasolina-nesta-quinta-07





notice
 

Mesmo preso há 52 dias e atacado ferozmente pela mídia golpista, o ex-presidente Lula mantém a vantagem sobre os demais candidatos a presidente da República e seria eleito no primeiro turno se as eleições fossem hoje. E se houvesse segundo turno, Lula também derrotaria qualquer adversário por ampla margem de votos.

No cenário estimulado, quando os nomes dos candidatos são apresentados aos entrevistados, Lula alcançou 39% das intenções de voto contra 30% das soma dos adversários, mostra pesquisa CUT/Vox Populi, realizada entre os dias 19 a 23 de maio e divulgada nesta segunda-feira (28).

O diretor do Instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, chama a atenção para o pífio desempenho dos candidatos ligados ao ilegítimo Michel Temer (MDB-SP) que, juntos com o presidente, deram o golpe de estado e levaram o Brasil para o caos atual.

“Apesar do proselitismo de parte da imprensa brasileira, eles patinam em índices muito baixos. Entre eles, o que mais chama a atenção é o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), que está aquém do que alcançaram outros candidatos tucanos no passado”.

“Parece que a opinião pública não perdoa o comportamento do partido de 2014 para cá”, diz Coimbra.

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, os brasileiros não esquecem que Lula aqueceu a economia, gerou mais de 20 milhões de empregos e distribuiu renda, apesar da crise de 2008 que derrubou bolsas em todo o mundo e levou a economia da Europa e dos Estados Unidos à bancarrota.

“O que temos agora são quase 14 milhões de desempregados, fora os subempregados, aumentos absurdos da gasolina, diesel e gás de cozinha e um governo acuado, desacreditado e sem capital político sequer para negociar o fim de uma mobilização de caminhoneiros”, pontua Vagner.

Na pesquisa estimulada, o segundo colocado, com praticamente um terço das intenções de voto de Lula, está o deputado Jair Bolsonaro (PSL), com 12%; seguido de Marina Silva (Rede), com 6%; Ciro Gomes (PDT), com 4%; Geraldo Alckmin (PSDB), com 3% e Álvaro Dias (Podemos), com 2%.

Henrique Meirelles (MDB-GO), Manuela D’Ávila (PC do B) e João Amoedo (Novo-RJ) têm cada um 1% das intenções de votos. Já Flávio Rocha (PRB-RN), Guilherme Boulos (Psol-SP), João Vicente Goulart (PPL), Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Paulo Rabelo de Castro (PSC) não pontuaram. O percentual dos que não vão votar em ninguém, brancos e nulos totalizou 21% e não sabem ou não responderam, 9%.

No Nordeste, Lula tem 56% das intenções de votos, contra 7% de Bolsonaro e Ciro, que empatam na Região; Marina tem 6% e Alckmin apenas 1%. Os demais não pontuaram. No Sul, 31% dos entrevistados votariam em Lula, 18% em Bolsonaro e 10% em Álvaro Dias; Marina e Ciro empatam, com 4% cada e Alckmin aumenta para 2%, empatando com João Amoedo. Meirelles, Manuela e outros têm 1%.

Pesquisa espontânea

No cenário espontâneo, Lula também está bem na frente dos demais candidatos. O ex-presidente tem 34% das intenções de votos, Bolsonaro surge em segundo lugar, com 10%; Ciro e Alckmin voltam a empatar, com 3% cada; Marina e Joaquim Barbosa, que desistiu da candidatura, surgem com 2% cada; e Álvaro Dias, com 1%. E 5% dos entrevistados disseram que vão votar em outros, 25% ninguém, brancos e nulos, e 16% não sabem ou não responderam.

Segundo turno

Nas simulações de segundo turno, Lula venceria todos os adversários com larga vantagem. Venceria Marina com 45% contra 14% da candidata da Rede; Já contra Alckmin e Bolsonaro, Lula alcançaria 47% dos votos contra 11% e 16%, respectivamente.

A pesquisa CUT/Vox Populi foi realizada com brasileiros de mais de 16 anos, residentes em áreas urbanas e rurais, de todos os estados e do Distrito Federal, em capitais, regiões metropolitanas e no interior, de todos os estratos socioeconômicos.

Foram ouvidas 2.000, em entrevistas feitas em 121 municípios. Estratificação por cotas de sexo, idade, escolaridade e renda.

A margem de erro é de 2,2 %, estimada em um intervalo de confiança de 95%.

FONTE: www.cut.org.br/noticias/cut-vox-com-39-das-intencoes-de-voto-lula-vence-no-primeiro-turno-9eff

 
 
 
 
 
 
 
 

A paralisação do transporte rodoviário no país é resultado direto da política irresponsável de preços de combustíveis da Petrobras sob o governo golpista, que atingiu primeiramente a população mais pobre, com os aumentos escandalosos do gás de cozinha. Trata-se de uma crise anunciada e agravada pelo noticiário da Rede Globo, que estimula a corrida aos postos e supermercados, além da especulação com preços dos alimentos. A Globo investe na crise, como fez em 2013 e ao longo do golpe do impeachment de 2016.

O protesto contra a alta dos combustíveis é justo. Foram absurdos 229 reajustes no preço do diesel nos últimos dois anos. Nos 12 anos de governo do PT, foram apenas 16 reajustes.

Na época dos governos do PT os preços do diesel, da gasolina e do gás acompanhavam os preços internacionais em ciclos longos. Os reajustes eram feitos de forma espaçada e moderada, conciliando os interesses da empresa com os interesses maiores do bem-estar público e da eficiência global da economia. Já a gestão golpista da Petrobras adotou uma política de transferência compulsória e imediata das oscilações internacionais para o mercado interno e de maximização dos preços dos derivados, com o intuito único de remunerar os acionistas e tornar a empresa atrativa para as privatizações setoriais a que é atualmente submetida. Tal política, que trata a Petrobras como se fosse uma bolha privada desconectada do interesse nacional, provocou uma volatilidade absurda dos preços, que passaram a ser reajustados, em alguns casos, de forma praticamente diária.

É por isso que o preço do diesel no Brasil está hoje bem acima do preço internacional do produto (56% acima). É por isso que o Brasil está com a segunda gasolina mais cara do mundo. É por isso que a população mais pobre não consegue mais comprar botijões de gás. É por tal razão que a economia brasileira está paralisando. É por isso que o Brasil está importando cada vez mais combustíveis de grandes petroleiras norte-americanas, como Chevron, Exxon, etc.

Além disso, a direção entreguista da Petrobras reduziu em cerca de 30% a produção de combustíveis em nossas refinarias, abrindo o imenso mercado brasileiro para a importação de combustíveis. Nossas importações de derivados norte-americanos subiram de 41% para 82%. Estamos exportando óleo cru, ao invés de refiná-lo aqui mesmo, e comprando combustível mais caro no estrangeiro, que muitas vezes é produzido a partir do nosso petróleo. É uma estratégia suicida, que visa a atrair investidores para a privatização da Petrobras. Um crime contra a economia popular e contra a soberania nacional.

Neste contexto, é meramente paliativa a ideia de zerar os impostos federais sobre combustíveis (objetivo das grandes empresas de transporte que se aproveitaram do movimento para realizar um locaute). A volatilidade dos preços internacionais e do câmbio vai continuar a gerar novos aumentos. Além disso, o custo fiscal dessa proposta, que incide sobre o PIS/Cofins, recairá fatalmente sobre o orçamento de programas sociais e políticas públicas, como a do seguro desemprego, que beneficiam o povo mais pobre. Além de inútil, a proposta do governo golpista é injusta.

O acordo anunciado nesta noite (24/05) confirma essas fragilidades, já que, além de não revolver adequadamente o problema, vai onerar a União, que terá de remunerar a Petrobras caso ela tenha algum prejuízo com as medidas tomadas. Trata-se de uma total inversão de valores, na qual os interesses privados dos acionistas da empresa se sobrepõem aos interesses públicos.

A saída para mais esse desastre do governo golpista está na recuperação da Petrobras e do papel estratégico que nossa maior empresa sempre exerceu no país, inclusive na regulação dos preços dos combustíveis. É urgente reverter a política ultraliberal de Pedro Parente, que trata a Petrobras como se fosse uma empresa privada, com foco no lucro de quem detém ações (grande parte estrangeiros), em detrimento do maior de todos os acionistas: o povo brasileiro.

A reversão deste processo, em benefício do país e do povo, só será possível quando tivermos um governo eleito pela maioria, com legitimidade para enfrentar as pressões do mercado, ao invés de submeter-se a ele como fazem Michel Temer e Pedro Parente. Esta é mais uma razão para lutarmos pela liberdade de Lula e pelo direito do povo de votar livremente num projeto de país melhor e mais justo, um país soberano, com desenvolvimento e inclusão social.

Alertamos, por fim, para as tentativas de manipulação política da paralisação dos transportes e suas consequências. Uma crise dessas dimensões, diante um governo que já não tem sequer a capacidade de dialogar, por absoluta falta de credibilidade, pode se transformar em terreno fértil para aventuras autoritárias. Principalmente porque o campo dos golpistas não consegue apresentar uma candidatura e um projeto de país com viabilidade eleitoral. O PT defenderá sempre as soluções democráticas e justas para o país.

Pela recuperação plena da Petrobras e de seu papel estratégico!

Por uma política justa e soberana dos preços de combustíveis!

Por eleições livres e democráticas!

Lula Livre! Lula Presidente!

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT

Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara dos Deputados

Lindbergh Farias, líder do PT no Senado Federal

Fonte: www.pt.org.br/

Greve Chapa Branca

 

Brasil, 24 de maio de 2018.

Essa greve dos caminhoneiros, tem comando e apoio da direita. Estão fazendo o que a Centrais Sindicais e os Movimentos Sociais não conseguiram fazer, que é parar o Brasil.

Muita atenção nesta hora de confusão e desinformação. Pode ser o próximo estágio do golpe. Os fascistas ampliaram seus apoiadores, primeiro geram o caos, depois apresentam a intervenção militar como solução. A Argentina vive situação semelhante.

É o imperialismo no comando, que poderá aproveitar para varrer a Venezuela.

Momento complicado, que devemos mobilizar quem pudermos, Centrais Sindicais, demais sindicatos… e movimentos sociais.

Em nossa avaliação a situação pode piorar muito, precisamos, ficar atentos.

– Em Defesa da Democracia

– Contra a Intervenção imperialista na Venezuela

– Fora Temer

– Lula Livre

             Fonte: oproletario.org/

 

 Sobre o movimento dos caminhoneiros

 

greve caminhoneiros

Publicamos artigo do jornal O Trabalho desse 24 de maio sobre esse fato importante em curso que chama a atenção do país

Contra o aumento do diesel

No fechamento da edição, estava no quarto dia o movimento dos caminhoneiros em todo o país, por uma reivindicação justa – contra o aumento do diesel.
Mas de onde vem esse aumento?
Desde junho de 2017, o golpista Temer dobrou a tributação dos combustíveis, cerca de 100% no PIS/Confins, e a Petrobrás adotou uma política privatista de reajuste dos combustíveis em prol dos acionistas – eles seguem a variação do dólar e do petróleo no mercado mundial – e ficaram quase diários. O diesel, a gasolina, o gás de cozinha – vital para a família trabalhadora – e os demais derivados, tiveram aumento de cerca de 20% nas refinarias, mas nos postos a alta chega a 50%.
O movimento com concentrações e bloqueios em estradas e greves tem a simpatia popular, contra o odiado governo.
Mas, além de caminhoneiros autônomos, o movimento heterogêneo também integra empresários de transporte (em locaute). São várias as entidades que “negociam”. A mídia lhe dá um apoio incomum. Estranhamente, se anuncia o desabastecimento em prazo recorde, comparando a episódios anteriores. Aparecem até pedidos de intervenção militar.

Cautela. Cambaleante, o governo Temer e a Petrobras ainda não tem uma solução, a Câmara e o Senado se interpõem. Nos próximos dias, pode-se chegar a um acordo provisório.

Uma solução duradoura para o diesel e para a economia em geral, motivo de várias lutas hoje em curso, passa pelo fim deste governo com eleições democráticas e Lula Presidente!

Artigo publicado na edição nº 828 do Jornal O Trabalho de 25 de maio de 2018

Fonte: petista.org.br/2018/05/24/urgente-nota-do-jornal-o-trabalho-sobre-o-movimento-dos-caminhoneiros-2-2/

 

 

 

CUT Pode Mais e os Desafios para próximo período.

Nesta tarde de terça-feira (08/05), a CUT Pode Mais, estava reunida no SINDICATO DAS SAPATEIRAS E SAPATEIROS DE NOVO HAMBURGO em REUNIÃO com Sindicatos da ligados a corrente na Regional Sinos.
A companheirada esteve reunida debatendo Conjuntura Nacional, Internacional e a Estadual e a Democracia e nossos Direitos Trabalhista após as Novas Leis Trabalhista. E quais serão os desafios da Central Única dos Trabalhadores para construir uma VERDADEIRA UNIDADE DA CLASSE TRABALHADORA DO BRASIL.
Não tinha como não debater a prisão do nosso companheiro e ex-presidente Luis Inacio Lula da Silva, prisão politica e tem como objetiva tirar o Lula das eleições de outubro/18 – ELEIÇÃO SEM LULA... É FRAUDE.
Desde do inicio da reunião foi colocado a faixa que representa a Democracia e os Direitos dos Trabalhadores e a Dignidade do Povo Brasileiro #LulaLivre... somente o Lula pode trazer novamente os nossos direitos e a volta da Democracia.

Por Ederson Rodrigues

 1º DE MAIO DE 2018 EM CURITIBA - LULA LIVRE - LULA PRESIDENTE

FOTO : Francisco Proner Ramos

Lula canta “Gaúcho de Passo Fundo” e diz que termina caravana em Curitiba: “quem não deve não teme”

 

24 março, sábado, 2018 às 9:17 am

Comentários    Print Friendly and PDF
 

Lula em São Leo

Lula em São Leo

Sul21 - No meio da fala pública que realizou na noite desta sexta-feira (23), diante de 15 mil pessoas no centro de São Leopoldo, no Vale dos Sinos, na Região Metropolitana de Porto Alegre, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva puxou versos do cantor Teixeirinha. A música era Gaúcho de Passo Fundo. Ele arrematou: “…e trato todo mundo com o maior respeito”. “Não é assim? Era só isso que eu queria cantar lá hoje”.

A referência foi à movimentação de sindicatos rurais e políticos de direita da cidade da região norte do Estado que barraram a chegada da caravana petista. A primeira vez desde que Lula começou suas viagens pelo Brasil, no ano passado. Os problemas na região norte atrasaram os planos da viagem. Por questões de segurança, recomendação da própria Brigada Militar, o ato na cidade teve de ser cancelado. Lula disse não ter se surpreendido.

“Eu sou um cidadão bem informado. Eu tinha bastante conhecimento da situação do Rio Grande do Sul, sabia dos resultados eleitorais e venho acompanhando os discursos e comentários. Veja que eu resolvi fazer uma caravana não-eleitoral. Senão, eu teria escolhido as dez maiores cidades do Estado e fazer atos como esse. Escolhi a região menos habitada demograficamente”.

A decisão de concorrer à Presidência este ano, segundo ele, também estaria embalada em não aceitar “a raiva e o ódio” que estariam estabelecidos na sociedade brasileira. E que se conseguir se registrar como candidato, sem medo de ser ufanista, ganha no primeiro turno.

“Será que eles não aprendem a jogar o jogo democrático? Eles acham que são bons? Ora, disputem as eleições. Coloquem um monte de candidatos e elejam. É o [Michel] Temer (MDB)? Que seja o Temer, não tem problema. É o [Geraldo] Alckmin (PSDB)? É o Bolsonaro (PSL)? Não tem problema. Só não pode ser a Manuela [D’Ávila, PC do B] e o [Guilherme] Boulos (Psol) que nós vamos estar juntos em algum momento. Indiquem quem quiserem e vamos para a disputa”. Sem comentar o julgamento do habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) ou o acordo de adiar uma decisão a respeito dele até o dia 4 de abril, Lula ironizou sobre o fim da sua caravana na região Sul do país.

“Vou terminar minha caravana na Boca Maldita, no centro de Curitiba. Vou fazer isso porque aprendi desde pequeno: quem não deve não teme. Quem é honesto, não baixa a cabeça”. A capital paranaense é a origem dos processos da Lava Jato contra ele e onde boa parte dos políticos presos é mantida. Inclusive o ex-deputado e ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB). Na fala em São Leopoldo, uma das cidades gaúchas onde o PT conquistou prefeitura em 2016, com Ary Vannazi, Lula deu uma amostra de que pretende seguir o slogan do governo interrompido de Dilma Rousseff (PT), com foco na educação.

“Quero voltar a ser candidato para provar que é possível fazer mais educação, que é possível fazer mais saúde. Eles que se preparem porque eu vou federalizar o ensino médio nesse país. Se vai custar dinheiro, ótimo. Eu tenho dito todo dia que educação não é gasto, é investimento. Eles sabem que vamos voltar a gerar emprego”.

Dilma também se pronunciou em ato de São Leopoldo | Foto: Fernanda Canofre/Sul21

“Eles têm medo do voto como o diabo tem da cruz”

A manifestação no norte do Estado repercutiu nas falas de vários deputados e do senador Paulo Paim (PT). Para Dionísio Marcon (PT), deputado federal que vem do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), a luta de classes ficou evidente no episódio de Passo Fundo.

“Para mim, o agronegócio atrasado, raivoso, o bolsonarismo está se articulando no Estado. Isso mostra que a luta de classes está cada vez mais em evidência no Rio Grande do Sul e no Brasil. Aquilo que aconteceu em Passo Fundo, São Borja, Santa Maria, Palmeira das Missões e Bagé são os que financiaram suas máquinas com programas do governo Lula e Dilma, não pagaram e sabem que Lula vai fazer eles pagar”, disse ao Sul21.

Olívio Dutra, ex-governador do Estado e primeiro petista a governar o RS, que acompanhou Lula durante a semana, disse que “a caravana acendeu um rastilho de cidadania”. Ele voltou a defender a candidatura do ex-presidente, de quem foi ministro.

“Quem tem que decidir é povo, somos nós, com o voto direto. Esses que deram o golpe, que chamam pelo nome de impeachment, querem prosseguir e querem uma democracia mendiga. Eles têm medo do voto como o diabo tem da cruz”, disse ele sob aplausos. “Estão tentando tudo com vilania política, como descaracterizar o processo coletivo”. Ele recomendou que é preciso “não afrouxar o garrão e não baixar a guarda”.

Dilma defendeu que o golpe que terminou com seu governo foi dado para “destruir o PT e suas lideranças”. “PSDB golpista e PMDB golpista não têm voto nesse país. Criaram o monstro da extrema-direita. Monstro que, votando pelo meu impeachment, defendeu um torturador e a tortura. Crime inafiançável em qualquer lugar do mundo”, lembrou ela citando o voto de outro presidenciável, Jair Bolsonaro.

Na tentativa de inviabilizar uma candidatura de Lula, segundo ela, “inventaram o lawfare”. Manobras jurídicas para atacar alguém. “Não queremos privilégio, mas não aceitamos perseguição. Apartamento não é de Lula”, afirmou, se referindo ao processo que condenou o ex-presidente a 12 anos de prisão, em janeiro.

Aline com a mãe Carmen e seus dois diplomas | Foto: Fernanda Canofre/Sul21

Os canudos de diplomas

A educação, aliás, foi a política mais lembrada no ato, pelas pessoas que foram ao ato “para agradecer” ao ex-presidente.

Um jovem, professor do Estado, filho de metalúrgico, contou que depois de estudar em um Cefet – atualmente os Institutos Federais, estabelecidos por Lula em seu segundo mandato – chegou em casa decidido a fazer uma faculdade. O pai pediu que ele não pensasse assim, que se preparasse para entrar no chão de fábrica. Nesta sexta, o rapaz entregou de presente para Lula o diploma, que conseguiu graças ao ProUni.

Outra professora da rede estadual, Aline Bernardes da Silva, foi ao ato com a mãe, que sempre militou no Partido dos Trabalhadores. Aline levou os dois canudos e um cartaz onde agradecia a chance a Lula. No caso dela, o Fies foi o que garantiu a chance de estudar numa instituição privada.

“Graças aos programas de democratização da educação que eu consegui meus dois diplomas. O que me traz aqui é esperança que a gente consiga fazer as pessoas enxergarem que precisamos parar de excluir. Precisamos incluir a todos. Todas as pessoas têm direitos”.

Leia mais

Diante de sem terra e agricultores, Lula faz maior ato de sua caravana em Palmeira das Missões
‘Sou agricultor, não sou traidor’: Nas Missões, Lula recebe mensagens de apoio e novos protestos
Caravana de Lula enfrenta bloqueio e pedradas, mas faz ato junto a túmulo de Getúlio

Veja mais fotos de Fernanda Canofre – Sul21


 

 
Fonte: Fernanda Canofre – Sul21 

 

 

A Anglo American e o novo crime da mineração na bacia do rio Doce

Na manhã desta segunda-feira (12) uma tubulação de mineroduto rompeu no município de Santo Antônio do Gama, na região da Zona da Mata de Minas Gerais. O rompimento atingiu o ribeirão Santo Antônio, que integra a Bacia do Rio Doce, já contaminada com a lama da Barragem de Fundão rompida em 5 de novembro de 2015 e que pertence a Samarco, Vale e BHP Billiton.

“O duto que rompeu tem menos de 6 anos de construção semelhante a situação da Samarco é uma obra recente que mostra como a aposta na expansão desmedida causa danos irreversíveis à sociedade”, declara Letícia Faria, da coordenação estadual do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

O duto de 529 quilômetros, pertence à mineradora Anglo-American e integra ao Sistema Minas-Rio, que transporta minério de ferro do município de Conceição do Mato Dentro (MG), ao porto de Açu, na cidade de São João da Barra (RJ). “O MAB já vem denunciando o descaso da Mineradora na região. A região já apresenta escassez de água e agora um manancial foi atingido com minério que contém materiais pesados”, denuncia a representante. 

A captação de água feita pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa),  foi interrompida na cidade de Santo Antônio do Gama.  O rio Santo Antônio é afluente do Rio Casca, que passa por doze municípios e deságua no rio Doce. Por fotos divulgadas por moradores, o Ribeirão apresenta cor avermelhada.

“Eis que mais uma vez está provada de uma maneira trágica e criminosa que a mineração da forma que está organizada será somente fonte de exploração desmedida, destruição da natureza e das condições de trabalho e saúde das populações”, afirma Leticia Faria.

Neste mês de luta internacional pelos direitos dos atingidos, devemos reafirmar na linha do Fórum Alternativo Internacional da Agua (FAMA) que é preciso questionar profundamente este modelo que coloca água em dutos misturados com amido unicamente para garantir lucros para uma grande empresa. E o resultado são tragédias como estas que devem ser denunciadas e estas empresas combatidas.

Fonte: www.mabnacional.org.br/noticia/anglo-american-e-novo-crime-da-minera-na-bacia-do-rio-doce-0

 

 

www.fama2018.org/portal/fama-2018/

 

 

Aconteceu no dia 30 de outubro no salão da Paróquia da Igreja Pompéia em Porto Alegre o Lançamento do Comitê Estadual do FAMA – Fórum Alternativo Mundial da Água. Estiveram presentes várias organizações sindicais e organizações dos movimentos sócias do Brasil, destacamos a presença internacional da Sra. Carmen Soza militante social do uruguai, além da exposição dos palestrantes que o público em geral pode acompanhar ao vivo pela página do Fórum da Igualdade sendo que todo este conteúdo está lá basta acessar .www.facebook.com/forum.daigualdade/.

Um dos objetivos deste comitê que além de integrar a luta do FAMA nacional pretende ser perene no tempo em defesa da água pública e de qualidade e uma das tarefas será a criação de comitês nas regiões polos do Rio Grande do Sul assim como fez Pelotas no lançamento de seu comitê no dia 26 de setembro. Nossas reuniões serão sempre as quartas feiras sempre na segunda quarta de cada mês .

 

 

 

 

OXITENO: FISCALIZAÇÃO DA SRTE/RS

PUBLICADO: 


20 de junho de 2017

 

No dia 13 deste mês, auditores da SRTE-RS (Su­perintendência Regional do Trabalho e Emprego), realizaram fiscalização na empresa Oxiteno, junta­mente com o Sindipolo e a CIPA que foram convida­dos a participar.

No ato da fiscalização, a SRTE solicitou docu­mentações relativas a NRs, Planos de Manuten­ção, relatórios de caldeiras, CATs (Comunicação de Acidente de Trabalho) entre outros documentos inerentes para as condições de trabalho. Após, se­guiu para as áreas de produção da empresa, onde percorreu a unidade de compressores – C 415 A e B e C 416; de refrigeração do processo e caldeiras B 6310 e B 6360; Unidade de Reconcentração de Áci­do Sulfúrico – Área U 420 SCHOTT; pelo local onde ocorreu o acidente de vazamento no final de 2016, envolvendo a Bomba G712 – planta piloto. Também passou pela Oficina de Manutenção e vestiários.

Nesta fiscalização, foi ob­servada a presença de ruído intenso em algumas áreas da planta industrial, merecendo atenção sobre este risco físi­co; melhor cumprimento da NR 20 no que diz respeito a fracionamento e rotulação de produtos. Na Oficina foram verificadas a necessidade de melhorias em tornos mecâni­cos e na ventilação/exaustão em fumos de solda, confor­me estabelece a NR 12. Outra questão foi a falta de higieni­zação das toalhas dos traba­lhadores, que deveriam ser fornecidas pela Oxiteno, pois as mesmas ficam expostas à contaminações das áreas in­dustriais.

Ficou evidente que a em­presa deu bons andamentos às demandas da fiscalização anterior realizada pelo SRTE. Um exemplo constatado nes­te acompanhamento foi que as tubulações das áreas estão sendo pintadas e melhor iden­tificadas conforme NR 26.

Entendemos que os pon­tos fiscalizados nesta nova atu­ação, são possíveis de serem atendidos pela Oxiteno, pois envolvem somente disposição da empresa e poucos recursos financeiros.

Para o Sindicato, as melho­rias nas condições do ambien­te de trabalho não se limitam apenas ao cumprimento das Normas Regulamentadoras e outros anteparos legais de proteção aos trabalhadores. Mas que as empresas, de uma forma geral, apliquem em seus programas, planejamentos, orçamentos, ou seja, na ges­tão como um todo, melhorias efetivas na qualidade e segu­rança destas condições. Isto é um respeito à vida e saúde dos trabalhadores petroquímicos, sejam diretos ou terceiros.

fonte: https://www.sindipolo.org.br/2017/06/oxiteno-fiscalizacao-da-srters/

 

 

Greve geral tem adesão e apoio históricos e ultrapassou os 35 milhões de 1989

Print Friendly and PDF

Fonte da foto :https://otrabalho.org.br/

 

 

 


Contate-nos

CUT Pode Mais com A Classe

Sapateiras e Sapateiros em Festa

19/02/2015 14:59

PL 4.330/04 é desarquivado; está pronto para votação em plenário

11/02/2015 11:54
O PL 4.330/04, que expande a terceirização, foi desarquivado nesta terça-feira (10). De autoria do ex-deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), o projeto está pronto para votação no plenário da Câmara dos Deputados. A votação do projeto em plenário depende do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ),...

JURISTAS ENTERRAM PARECER DE IVES GANDRA E FHC

06/02/2015 15:54
  Cai por terra o parecer do jurista Ives Gandra, produzido a pedido de um advogado do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que vê condições jurídicas para um impeachment da presidente Dilma Rousseff; a tese defendida por Gandra está errada; é o que dizem Lenio Streck...

Dieese alerta para os prejuízos de novas regras do seguro-desemprego

17/01/2015 12:29
Dieese alerta para os prejuízos de novas regras do seguro-desemprego 15 janeiro, quinta-feira, 2015 às 1:04 pm Comentários   Coordenador do instituto lembra que medidas não foram dialogadas com o movimento sindical O coordenador de atendimento sindical do Dieese, Airton Santos,...

CPERS reúne-se com secretário de Educação para garantir início de ano letivo sem falta de professores

17/01/2015 12:28
CPERS reúne-se com secretário de Educação para garantir início de ano letivo sem falta de professores 16 janeiro, sexta-feira, 2015 às 1:11 pm Comentários   A Direção Central do CPERS reuniu-se, na quinta-feira, 15, com o secretário estadual de educação, Vieira da Cunha, e sua equipe...

Piso Regional Trabalhadores Avaçam

09/12/2014 17:12
Vitória dos trabalhadores: aprovado reajuste de 16% para o Piso Regional 2 dezembro, terça-feira, 2014 às 5:00 pm Comentários   Em um dia marcado pelo debate sobre o tema, com audiência pública e Grande Expediente, a classe trabalhadora comemora Com 41 votos favoráveis e nenhum...

CUT reivindica e Dilma monta mesa de negociação permanente para discutir agenda dos/as trabalhadores/as

09/12/2014 17:08
CUT reivindica e Dilma monta mesa de negociação permanente para discutir agenda dos/as trabalhadores/as Em audiência com a presidenta Dilma Rousseff, presidente da CUT, Vagner Freitas, cobra manutenção de políticas sociais e mais diálogo com movimento sindical Em audiência realizada nesta...
<< 6 | 7 | 8 | 9 | 10

Galeria de fotos: Página inicial

MATERIAIS DA CAMPANHA CONTRA A REFORMA DA PREVIÊNCIA

Enquete

Você é contra a reforma trabalhista do golpista temer?

SIM (9)
100%

NÃO (0)
0%

Total de votos: 9